Revide – Lançamento do livro

Na próxima segunda-feira, dia 12 de setembro, a terapeuta Denise Dias lança, a partir das 19h30 na Fnac em Ribeirão Preto, o livro “Tapa na Bunda”, obra que procura mostrar a divisão clara entre violência e respeito, entre agressão e impor autoridade e disciplina na educação dos filhos.

É comum, ao ver uma criança tendo um ataque de birra, se falar ou pensar “Isso é falta de uns bons tapas na bunda”. Para a autora, em grande parte dos casos, essa é a verdade e, por isso, ela defende essa tese em seu livro, com muita coragem e sem meias palavras, apontando o caminho para uma educação que considera verdadeira e formadora de indivíduos equilibrados e felizes. “Tapa na Bunda”,, segundo Denise, pretende ser uma luz para pais que querem educar seus filhos, mas têm dúvidas de como impôr limites, principalmente, nestes tempos cheios da vigilância do politicamente correto.

Acompanhe a seguir uma rápida entrevista com a autora.

Retalhos – É a sua primeira publicação?
Denise – Sim, “Tapa na bunda” é a minha primeira obra mas outras duas já estão em andamento. Uma deve ficar pronta até o final deste ano.

Retalhos – De onde nasceu a ideia do livro?
Denise – É impressionante a quantidade de crianças sem limites hoje em dia e a quantidade de pais inseguros em impôr tais limites aos filhos. O número de crianças com problemas de comportamento que chegam ao consultório é muito grande. De tanto trabalhar na área e obter sucesso com os meus pacientes e com as suas famílias, e também, orientando pais e professores em palestras dadas em escolas, pensei: “Por que não, tornar público todo o conhecimento e experiência que tenho, podendo assim, auxiliar muitos pais na criação de seus filhos?!” Foi assim que resolvi escrever “Tapa na bunda”.

Retalhos – Qual a sua experiência com crianças?
Denise – Sou terapeuta infantil, tendo como formação a musicoterapia, a pedagogia, a psicopedagogia e a psicossomática. Além disso, tenho experiências nos Estados Unidos em clínicas e hospitais com crianças especiais, crianças abusadas sexualmente e fisicamente também. Trabalho com crianças a mais de 10 anos. Já fui educadora infantil, e hoje exerço o trabalho clínico.

Retalhos – E com sua experiência, dá para dizer que um “tapinha” não dói?
Denise – É o que eu tanto falo: a vida é feita de castigos e prêmios. Acontece que hoje em dia deram outros nomes para falar a mesma coisa: castigos. Fizeram da punição tão necessária um bicho de sete cabeças. Por isso, muitos pais estão inseguros na aplicabilidade dos castigos. Limites sempre foram necessários. Uma criança nasce sem ter noções de limites. Os pais são os que devem dá-los à ela. Muitas vezes, tudo o que a criança precisa é de um “não” firme falado pelos pais. Muitas vezes, a criança precisará de algo a mais, como, por ex, perder o cinema por mal comportamento. E, muitas vezes, ela precisará sim de um tapa na bunda. No meu livro eu explico detalhadamente todo o processo dos castigos: desde uma simples conversa até chegar ao tapa na bunda. O que os pais precisam urgentemente entender é que um tapinha na bunda não dói tanto quanto um tapa na cara que eles mesmos, pais, podem levar do próprio filho quando este for adolescente. E para conferir isso, basta ligarmos a televisão.

Retalhos – Qual a sua opinião sobre o crescente número crianças abandonadas recém nascidas pelas mães e de violência doméstica contra a criança?
Denise – Olha… infelizmente o mundo está em caos. É criança dentro de saco plástico, é criança jogada pela janela, é casal que não se importa em deixar os filhos assistirem a novela do horário nobre e a todos esses realities shows que superestimulam o desenvolvimento de uma vida sexual ativa precocemente… Os pais estão tão perdidos que muitos deles agem nos extremos: ou liberam tudo ou repreendem demais. E os extremos nao dão a segurança necessária à criança. Honestamente, como terapeuta, eu vejo que a maioria dos adultos que cometem tais atrocidades contra seus próprios filhos, nada mais são do que fruto também da forma como foram criados pelos seus próprios pais. Por isso, os pais de hoje precisam entrar em equilíbrio urgente, pois a bola de neve está cada vez maior e mais forte

Retalhos – Como acredita que a sua obra possa contribuir com os pais na educação de seus filhos?
Denise – Eu costumo dizer que trabalho com “projeto de gente”, que é o que as crianças são mesmo. Sendo assim, eu não protelo para dizer aos pais qualquer coisa que seja importante no desenvolvimento dos seus filhos. A minha obra nada mais é do que a minha fala colocada na forma de escrita. Eu realmente falo com muita clareza sobre o desenvolvimento cognitivo infantil, sobre a importância dos pais se colocarem com a hierarquia devida e, o foco do livro, eu falo com muita clareza quando e como aplicar os mais diversos tipos de castigos, incluindo o “Tapa na bunda”. Eu espero que, de fato, os pais que lerem a minha obra, entendam que a responsabilidade no “projeto de gente” dos filhos deles, é de fato, somente deles, pais. E que, como todo projeto, quando bem estruturado no início, o andamento corrente sempre dá bons resultados.

Postado em 09 de Setembro de 2011 às 15:09 
www.revide.com.br – Tapa na Bunda